Skip to content

SIMULADO CESPE DESTA SEMANA

17 de agosto de 2010

QUESTÕES DO CESPE UNB- CONCURSO DA CAIXA 2010

Texto para as questões de 1 a 6

Especialistas concordam que é papel do ensino fundamental e médio — e não apenas da universidade —cooperar de alguma forma com o processo de formação dos futuros profissionais. Isso não implica ensinar jovens estudantes a mexer com planilhas de cálculos ou a empreender um novo negócio. Requer, sim, dar-lhes recursos para lidar com a realidade e, por exemplo, com a competição que um dia virá. Então, a dúvida que permanece é: nossas escolas de fato cumprem essa tarefa?

Carlos Alberto Ramos, professor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília, aponta falhas nessa missão. Ele identifica um abismo na transição entre o sistema escolar e o mercado de trabalho. “Nosso modelo educacional é muito segmentado, e os conhecimentos de línguas e matemática, por exemplo, são multo diferentes dos valores compreendidos durante a vida profissional”, defende.

O despreparo dos jovens, portanto, á patente. “desde cedo, é preciso ensinar as crianças a pensar e a se adequar a novas realidades”, diz Ramos. “Elas contam, inclusive, com uma vantagem para isso: são mais flexíveis a mudanças e estão sempre abertas a novas tecnologias”. Infelizmente, conclui o especialista, não é isso o que acontece nas escolas.

O mais curioso é que, a despeito de qualquer discussão sobre o dever das escolas, ajudar no desenvolvimento do aluno com vistas à sua colocação no mercado de trabalho é um fundamento no pais, estabelecido Pela Lei de Diretrizes e bases da Educação Nacional, conjunto de normas que dá o norte ao sistema educacional brasileiro. Portanto, tal tarefa cabe a todos os níveis do ensino básico, dos cinco aos t7 anos.

Para Claudio de Moura Castro, especialista em educação, as escolas de ensino infantil e fundamental oferecem aos estudantes, geralmente, a proposta correta para a capacitação para a vida profissional, isso significa: ensinar ler, escrever e falar adequadamente já durante a alfabetização infantil. O problema, segundo o especialista, aparece no ensino médio. “Nesse nível, as escolas são desmotivadoras, oferecendo conteúdos específicos para que os alunos estejam preparados para o vestibular”, afirma. “Mas, na verdade, não preparam o estudante para nada”.

Moura Castro aponta três habilidades fundamentais aos profissionais de hoje e do futuro. Elas são decorrentes da boa leitura, da boa escrita e da capacidade de comunicar-se bem. “Todos os profissionais precisam sabor resolver problemas, falar em público e trabalhar em equipe”, sentencia. “É nesse momento de aprendizado que se dissolve a fronteira entre o que á acadêmico — ensinado na escola — e o que é profissional e prático para o mercado de trabalho.”

Questões

 

1. (Cespe Unb- CAIXA 2010) Seriam mantidos o sentido original do texto e sua correção gramatical caso fosse

a)  substituída a expressão “com o” (L1 ) por ao.

b) inserida a preposição em imediatamente após a forma verbal “implica” (L.4).

c) suprimida a preposição ‘a’ que aparece logo após a conjunção ‘e’( L3).

d) substituída a preposição “a‘ por “em” logo após a forma verbal “cabe” (L21).

e) substituído o termo “aos” (L24) por “para os”.

2. (Cespe Unb- CAIXA 2010) No que se refere a aspectos linguísticos do texto, assinale a opção correta.

a) O vocábulo “jovens” (L3) á empregado, no texto, como substantivo.

b) O sujeito da forma verbal “identifica” (L8) á “Carlos Alberto Ramos” .

c) A expressão “a despeito dc” (L17) é sinônima de apesar de.

d) Na linha 20 0 emprego da preposição a, em “ao”, é exigência sintática do substantivo “norte”.

e) No texto, há elipse do objeto direto exigido pela forma verbal “oferecem” (L24).

3. (Cespe Unb- CAIXA 2010) Em relação ao sentido do texto e aos seus aspectos linguísticos, assinale a opção correta.

a) O sujeito de “Requer” (L4) retoma “o processo de formação dos futuros profissionais”.

b) O pronome “lhes” (L4) refere-se a jovens estudantes” .

c) O vocábulo ‘isso’ (L14) retoma “O despreparo dos jovens”

d) A expressão “tal tarefa” (L22) refere-se a “o dever das escolas” (1.24).

e) O sujeito de ‘preparam’ (L29) refere-se a “as escolas de ensino infantil e fundamental” .

4. (Cespe Unb- CAIXA 2010) Com relação ao vocabulário empregado no texto e à grafia de palavras desse texto, assinale a opção correta.

a) A forma verbal “empreender” (L4) poderia ser substituída por realizar, preservando-se a ideia original do texto e sua correção gramatical.

b) Os vocábulos “negócio”, ‘matemática’ e ‘acadêmico’ recebem acento gráfico com base na mesma regra de acentuação.

c) No texto, os vocábulos “abismo” (L8) e “norte” (L20) estão empregados em sentido literal.

d) O termo “patente” (L12) significa, no texto, questionável

e) Na linha 12 e 13, o acento que distingue a forma verbal ‘é’ da conjunção ‘e’ estabelece diferença morfológica, gráfica fonética, tal como ocorre com pôr e por.

5. (Cespe Unb- CAIXA 2010) No que tange à concordância e ao emprego do sinal indicativo de crase no texto, assinale a opção correta.

a) Caso fosse empregado o sinal indicativo de crase em ‘as’, no trecho ‘ensinar as crianças a pensar’ (1.10), seriam mantidos a correção gramatical do período e seu sentido original.

b) Em ‘abertas a novas tecnologias’ se o termo ‘a’ fosse flexionado no plural, o emprego do sinal indicativo de crase seria obrigatório.

c) O uso do sinal indicativo de crase em “com vistas à sua colocação”  é obrigatório.

d) Em “conjunto de normas que dá o norte ao sistema educacional brasileiro” o verbo dar pode ser flexionado tanto no singular, concordando com “conjunto”, quanto no plural, concordando com “normas”.

e) A oração “tal tarefa cabe a todos os níveis do ensino básico” poderia ser corretamente reescrita da seguinte forma: a todos os níveis do ensino básico cabem tal tarefa.

6. (Cespe UnB – CAIXA 2010) Assinale a opção correta no que se refere a aspectos gramaticais e à tipologia do texto.

a) Na linha 6, a supressão dos dois-pontos e a inserção do termo se após a forma verbal “é” mantêm a correção gramatical do período e o seu sentido.

b) O emprego da primeira pessoa do plural no pronome “nossas” (L6) prejudica a objetividade do texto e deve, portanto, ser evitado em textos dissertativos,

c) O vocábulo ‘segmentado’ (1.14) apresenta dupla grafia, podendo ser grafado também seguimentado, tal como ocorre com segmento e seguimento.

d) Na oração ‘é preciso ensinar as crianças a pensar e a se adequar a novas realidades’  o sujeito é indeterminado.

e) O texto caracteriza-se, essencialmente, como dissertativo, uma vez que há exposição dc argumentos que sustentam a ideia nele defendida.

From → Exercícios

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: