Skip to content

LISTA 01 DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS – ASSEMBLEIA 2013

1 de fevereiro de 2013

QUESTÕES

Texto I
Menos de 1% da água doce disponível no mundo provém de fontes renováveis. Uma parte considerável dessa porcentagem está sob os pés de brasileiros, argentinos, uruguaios e paraguaios. Na região centro-leste da América do Sul localizasse o aquífero Guarani, talvez o maior manancial transfronteiriço de água doce subterrânea do planeta, com uma extensão total aproximada de 1,2 milhões de km2, sendo 840 mil no Brasil. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Ambiental e Agropecuária (Embrapa), a água ali contida é de excelente qualidade.
Trata-se de um gigantesco manancial de bilhões de litros de águas subterrâneas ainda pouco aproveitado. Não se sabe com exatidão quanto desses recursos possa vir a ser explorado e de que forma, mas já há polêmica a esse respeito. A qualidade da água e a possibilidade de captação nos próprios locais onde ocorrem as demandas fazem com que o aproveitamento das águas do aquífero Guarani assuma características econômicas, sociais e políticas importantes.
Um dos principais problemas existentes é o risco de deterioração do aquífero em decorrência do aumento do volume explotado* e do crescimento das fontes de poluição pontuais e difusas. Essa situação exige gerenciamento adequado por parte das esferas de governo federal, estadual e municipal sobre as condições de aproveitamento dos recursos do aquífero. Em condições naturais, apenas uma parcela das reservas é passível de explotação* sustentável. Em geral essa parcela é calculada a partir da soma das extrações com a descarga natural do aquífero para os rios e para o oceano, e não pode ser superior à sua recarga natural.
* Explotar; explotação – extrair proveito econômico de área, terra etc., especialmente quanto aos recursos naturais; tirar proveito de alguma coisa; utilizá-la vantajosamente; explorar algo.

(Disponível em: http://www.uniagua.org.br/public_html/website/
default.asp?tp=3&pag=declaracao.htm. Acessado em: 03/03/2012)

1. (FCC 2012)… e não pode ser superior à sua recarga natural.

Conclui-se corretamente da afirmativa acima que é importante
A) calcular os recursos disponíveis em cada país onde se localiza o manancial, para uma exploração proporcional do aquífero.
B) acelerar a exploração do manancial subterrâneo com controle dos órgãos governamentais, para um melhor aproveitamento econômico da água.
C) controlar a possível deterioração das águas subterrâneas, impedindo sua captação em lugares muito próximos dessas reservas.
D) manter em níveis adequados a exploração dos recursos naturais, com a devida atenção ao processo natural de reposição dessas reservas.
E) facilitar o acesso às águas subterrâneas em toda a região, para permitir que elas sejam exploradas de acordo com a demanda de cada local.

2. (FCC 2012) Essa situação exige gerenciamento adequado por parte das esferas de governo … (3o parágrafo)

O segmento grifado acima refere-se ao que consta em:
A) … um gigantesco manancial …
B) … o aproveitamento das águas do aquífero Guarani …
C) … o risco de deterioração do aquífero…
D) … as condições de aproveitamento dos recursos do aquífero.
E) … soma das extrações com a descarga natural do aquífero para os rios e para o oceano …

3. (FCC 2012)… mas já há polêmica a esse respeito. (2o parágrafo)

A palavra grifada acima estaria corretamente substituída, mantendo-se o sentido original, por:
A) opiniões divergentes.
B) pesquisas em andamento.
C) levantamentos imprecisos.
D) questionamentos sem fundamento.
E) problemas insolúveis.

Texto II
Segundo um estudo publicado na revista científica PLoS One, 2,7 bilhões de pessoas, em 201 bacias hidrográficas, sofrem com escassez de água pelo menos um mês por ano. Seus autores analisaram o consumo mensal em 405 bacias hidrográficas do mundo entre 1996 e 2005. Os dados mostram que, em muitos casos, a captação de água para uso na agricultura, na indústria e nas cidades supera a capacidade natural de reposição dessas bacias. Resultado: rios secos, pessoas sem água, animais mortos e espécies ameaçadas.
“Água doce é um recurso natural raro; sua disponibilidade é limitada e a demanda está aumentando”, afirma o autor principal do estudo.
O setor com a maior “pegada hidrológica” mundial é a agricultura irrigada. “Cidades usam mais água que lavouras, proporcionalmente à sua área, mas é importante lembrar que a agricultura irrigada ocupa quatro vezes mais terra que as áreas urbanas”, explica outro autor do estudo.

(Adaptado de: O Estado de S. Paulo. A22, Vida. 2 de março de 2012)

4. (FCC 2012) De acordo com o texto, o número de pessoas com falta de água no mundo foi determinado
A) a partir da verificação do consumo das áreas de agricultura irrigada, proporcionalmente ao que se verifica nas cidades.
B) pelos resultados da produção industrial em algumas regiões, em comparação com áreas voltadas para a agricultura.
C) pelos cálculos referentes à quantidade de água doce disponível no mundo todo para suprir o abastecimento das cidades.
D) com base nos dados resultantes da análise do consumo mensal em expressivo número de bacias hidrográficas.
E) em razão da busca por ampliar a oferta de água doce em várias partes do mundo, sem possibilidade de sucesso.

5. (FCC 2012)”Água doce é um recurso natural raro; sua disponibilidade é limitada e a demanda está aumentando”. (2o parágrafo)
De acordo com o texto, a afirmativa acima mostra que o pesquisador
A) se volta para a ampliação do fornecimento de um recurso natural em todas as partes do mundo, para evitar o sofrimento de grande número de pessoas.
B) alerta para o fato de que o aumento no consumo mundial de água compromete a oferta desse recurso natural escasso.
C) propõe que a agricultura deve ser beneficiada com oferta adequada de água para irrigação, como garantia da produção de alimentos.
D) constata que o consumo de água nas cidades compromete o funcionamento da indústria por falta da água necessária para a produção de bens.
E) observa que a captação de recursos naturais nas cidades de todo o mundo se encontra sob controle, apesar do aumento geral no consumo de água.
Texto III

Do cartão de visitas do prefeito aos quadros emoldurados pendurados nas paredes dos restaurantes, as cataratas estão estampadas em todos os lugares de Foz do Iguaçu. A onipresença se explica pela relevância das quedas d’água para a economia da cidade. Graças a elas, Foz é o segundo maior destino dos turistas internacionais no Brasil, atrás apenas do Rio de Janeiro. Em 2010, recebeu um total de 2,5 milhões de visitantes – dez vezes a sua população. A cidade tem o privilégio de abrigar um dos espetáculos mais exuberantes do planeta. Os 275 saltos das cataratas despejam até 6,5 milhões de litros de água por segundo de uma altura de 82 metros.
O número de visitantes do Parque Nacional do Iguaçu cresce ano a ano. O aumento se deve a uma mudança pioneira na forma de a cidade se relacionar com uma unidade de conservação ambiental. O Ministério do Meio Ambiente entregou a gestão do parque à iniciativa privada. Foi um sucesso. Com a demanda em alta, as companhias aéreas viram-se obrigadas a redimensionar seus serviços, triplicando a oferta de voos para Foz do Iguaçu. A explosão de turistas também levou a rede hoteleira a se inovar. O comércio da cidade e o setor de serviços são engordados pelo dinheiro dos visitantes. “Além de criar empregos e renda, a atividade exige investimentos contínuos em infraestrutura. É outro benefício para a população”, afirma o diretor do Departamento de Pesquisas do Ministério do Turismo.
(Adaptado de: Veja, 2 de novembro de 2011, Especial cidades. P166)

6. (FCC 2012) O texto informa claramente que
A) os visitantes estão sujeitos à falta de acomodações em hotéis de Foz do Iguaçu.
B) o Parque de Foz do Iguaçu constitui uma unidade de conservação ambiental.
C) a importância da cidade de Foz do Iguaçu está diretamente ligada ao comércio.
(D) a cidade de Foz do Iguaçu está sendo administrada pela iniciativa privada.
E) Foz do Iguaçu ainda não dispõe de infraestrutura turística adequada.

7. (FCC 2012) A onipresença se explica pela relevância das quedas
d’água para a economia da cidade. (1o parágrafo)
O sentido do segmento grifado acima está relacionado com a
A) facilidade de acesso à cidade por meios de transporte disponíveis para o afluxo de turistas em número superior ao de habitantes.
B) enorme quantidade de água doce disponível nas cataratas, privilégio que garante o seu fornecimento ilimitado a toda a população.
C) possibilidade de concorrer com o Rio de Janeiro, com a reprodução da beleza das cataratas como um cartão-postal da cidade.
D) atração exercida pelas cataratas, impulsionando o turismo, cujas atividades dinamizam a geração de renda na cidade e garantem a oferta de empregos.
E) importância política da administração municipal decorrente da localização das cataratas na cidade de Foz do Iguaçu.

8. (FCC 2012) Graças a elas, Foz é o segundo maior destino dos turistas internacionais no Brasil, atrás apenas do Rio de Janeiro. (1o parágrafo)

O segmento grifado pode ser corretamente substituído, sem alteração do sentido original, por:
A) Apesar delas
B) Por causa delas
C) Mesmo com elas
D) Enquanto elas
E) Assim que elas

9. (FCC 2012) O comércio da cidade e o setor de serviços são engordados pelo dinheiro dos visitantes. (2o parágrafo)

O sentido do termo grifado acima está corretamente reproduzido em:
A) ampliados.
B) gerenciados.
C) transformados.
D) destinados.
E) aplicados.

Texto IV

Não há dúvida de que o preconceito contra a mulher é forte no Brasil e que cabe ao poder público tomar medidas para reduzi-lo. Pergunto-me, porém, se faz sentido esperar uma situação de total isonomia entre os gêneros, como parecem querer os discursos dos políticos.
Nos anos 60 e 70, acreditava-se que as diferenças de comportamento entre os sexos eram fruto de educação ou de discriminação. Quando isso fosse resolvido, surgiria o equilíbrio. Não foi, porém, o que ocorreu, como mostra Susan Pinker, em “The Sexual Paradox”. Para ela, não se pode mais negar que há diferenças biológicas entre machos e fêmeas. Elas se materializam estatisticamente (e não deterministicamente) em gostos e aptidões e, portanto, na opção por profissões e regimes de trabalho.
Embora não tenham sido detectadas, por exemplo, diferenças cognitivas que as tornem piores em ciências e matemática, mulheres, quando podem, preferem abraçar profissões que lidem com pessoas (em oposição a objetos e sistemas). Hoje, nos Estados Unidos, elas dominam a medicina e permanecem minoritárias na engenharia.
Em países hiperdesenvolvidos, como Suécia e Dinamarca, onde elas gozam de maior liberdade de escolha, a proporção de engenheiras é menor do que na Turquia ou na Bulgária, nações em que elas às vezes são obrigadas a exercer ofícios que não os de seus sonhos. Só quem chegou perto do 50-50 foi a URSS, e isso porque ali eram as profissões que escolhiam as pessoas, e não o contrário.
Mulheres também não se prendem tanto à carreira. Trocam um posto de comando para ficar mais tempo com a família. Assim sacrificam trajetórias promissoras em favor de horários flexíveis. É esse desejo, mais que a discriminação, que explica a persistente diferença salarial entre os gêneros em nações desenvolvidas.
Para Pinker, as mulheres seriam mais felizes se reconhecessem as diferenças biológicas e não perseguissem tanto uma isonomia impossível.
(Hélio Schwartsman. Folha de S. Paulo, A2 opinião, 10 de março
de 2012)

10. (FCC 2012) Fica evidente no texto que o autor
A) discorda de Susan Pinker, ao considerar que, não só em países subdesenvolvidos como também nos mais ricos, persistem as diferenças salariais entre homens e mulheres.
B) considera as diferenças biológicas entre homens e mulheres como razão suficiente que explica a inabilidade feminina para os estudos científicos e os cálculos matemáticos.
C) aceita as afirmativas de Susan Pinker de que diferenças biológicas dificultam o equilíbrio entre os sexos em relação à escolha das profissões e dos regimes de trabalho.
D) demonstra a necessidade de atuação dos governos de todo o mundo no sentido de propiciar a igualdade de gêneros quanto à escolha e ao exercício das profissões.
E) defende a busca do equilíbrio entre homens e mulheres na escolha das diferentes profissões, necessário para um desenvolvimento equitativo de todas as nações.

11. (FCC 2012) No 4o parágrafo, evidencia-se
A) indicação das razões, muitas vezes de cunho político, que explicam a presença de menor número de mulheres em determinadas profissões.
B) proposta de possíveis mudanças quanto à opção feminina por determinadas profissões em alguns dos países mais desenvolvidos.
C) preferência por certas atividades determinada por fatores educacionais, que acabam diferenciando o desempenho, seja o de homens, seja o de mulheres.
D) direcionamento das mulheres para algumas carreiras em países onde não há liberdade pessoal para escolher a atividade profissional desejada.
E) ressalva à hipótese inicial de que se mantém o preconceito contra mulheres no mercado de trabalho em diferentes países.

12. (FCC 2012) Quando isso fosse resolvido … (2o parágrafo)
O pronome grifado acima substitui corretamente, considerando-se o contexto,
A) as diferenças de comportamento entre homens e mulheres.
B) os problemas referentes à educação e à discriminação contra mulheres.
C) as medidas governamentais para reduzir o preconceito contra as mulheres.
D) o equilíbrio entre os sexos a partir das opções por profissões e regimes de trabalho.
E) o cálculo estatístico quanto às preferências femininas por determinadas profissões.

Texto V

Na prática, não é lei, e não há nenhuma obrigatoriedade. Mesmo assim, 140 países se comprometeram a aumentar o acesso à água potável, ao tratamento de esgoto e a promover o uso inteligente da água, na conclusão do último Fórum Mundial da Água.
Os acordos firmados no Fórum não têm caráter vinculante. Isso significa que as promessas não serão cobradas de ninguém. A ideia, no entanto, é levar esse documento para a Rio+20, conferência da ONU para o desenvolvimento sustentável, que acontecerá em junho no país.
Hoje, cerca de 28 agências ligadas à ONU lidam com a água sob várias abordagens, como produção de energia e agricultura. Mas a água, por si só, não é o foco do trabalho de nenhuma delas. O Ministério do Meio Ambiente, o das Relações Internacionais e a ANA (Agência Nacional de Águas) propuseram durante o encontro mundial a criação de um Conselho de Desenvolvimento Sustentável na ONU para tratar desse tema.
O Brasil possui 12% da água doce do planeta, mas há problemas: 70% dela estão na bacia amazônica, longe dos maiores centros urbanos. E só 45% dos brasileiros têm água tratada.
(Sabine Righetti. Folha de S.Paulo, 19 de março de 2012, C11, com adaptações)

13. (FCC/2012) O texto se volta, principalmente, para

A) a crítica ao descompromisso de vários países com as propostas estabelecidas na conclusão do recente Fórum Mundial da Água.
B) uma maior oferta de água potável no mundo todo, em especial no Brasil, país que detém a maior porcentagem desse recurso.
C) as dificuldades relativas ao consumo mundial de água em países sem infraestrutura necessária para o acesso a esse recurso.
(D) a infraestrutura necessária para que as agências mundiais que tratam da água exerçam a fiscalização do consumo responsável desse recurso.
E) a proposição, por diversos países, da utilização responsável da água, voltada para um desenvolvimento sustentável.

14. (FCC/2012) Conclui-se corretamente do texto que

A) o Brasil, apesar da quantidade de água doce disponível, ainda não atende aos objetivos previstos no acordo firmado no Fórum Mundial da Água.
B) a proposta sobre o aproveitamento sustentável da água será inatingível se esse tema não for obrigatoriamente discutido na conferência Rio+20.
C) a quantidade de água disponível para a agricultura e para produzir energia prejudica o fornecimento desse recurso natural para uso humano responsável.
D) a destinação prática da água, seja para a agricultura, seja para uso humano, está sujeita à disponibilidade desse recurso natural, escasso no mundo todo.
E) os compromissos assumidos, principalmente quanto ao uso sustentável da água, serão respeitados pelos países participantes do Fórum Mundial.

From → Interp. de Texto

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: